aquário saudável

Como manter o aquário saudável

Criar peixes como pets é uma atividade divertida e relaxante ao mesmo tempo. Afinal, os apaixonados por esse hobby sabem bem o quentinho que dá no coração quando a gente alimenta esses amigos aquáticos: eles agitam suas caudas e nadadeiras de tanta alegria, e isso é muito legal. Como ficar indiferente? Mais uma vantagem é que esse passatempo traz calma e sossego para uma sala ou outro tipo de ambiente. Só que não basta investir em decoração e comprar os peixes mais belos do universo. Para ter um aquário saudável, é crucial algum esforço.

Ao contrário do que muita gente pensa, o aquarismo não é muito trabalhoso, porém requer certos cuidados com a água, as luzes e a comida. Quem já teve esses pets no passado precisa entender que hoje os equipamentos e acessórios estão mais modernos. Já para quem trabalha com as vendas nessa área, a atualização nunca é demais, não é mesmo?

Quer ver seus peixes de estimação com saúde e muito vigor? É simples: leia neste post dicas incríveis para deixar o aquário saudável. Venha com a gente!

Preste atenção na água

O primeiro passo dessa nossa revisão é sobre as trocas de água. Não se esqueça de que, antes de colocar a água nova e filtrada, é vital prepará-la com os condicionadores. Assim, você impede que substâncias como o cloro façam mal para os nossos amiguinhos. O número de gotas de condicionador vai depender dos tipos de peixes e do tamanho do aquário.

Pode até parecer óbvio, porém informação nunca é demais. Nesse sentido, recorde-se de deixar uma fração da água antiga — a metade ou um pouco menos — para manter um clima equilibrado. Desse modo, você vai renovar os nutrientes e eliminar a sujeira sem provocar irritabilidade ou desconforto no viveiro. Afora isso, é essencial providenciar essas substituições em intervalos certos. Geralmente, esse período é de 15 dias, mas isso também varia. Certifique-se sobre o espaço de tempo mais adequado à estrutura que você estará manuseando.

Tenha cuidado com a iluminação

Para ter um aquário saudável, uma boa iluminação é mais um ponto extremamente importante. Nesse quesito, o equilíbrio faz toda a diferença. Sendo assim, não exagere no tempo de exposição à luz. Claridade demais acelera o crescimento das algas e gera estresse nos peixes, uma das causas mais comuns de doenças nesses animaizinhos. Por isso, verifique a quantidade ideal para cada espécie e deixe a luz acesa somente o tempo necessário. Se tiver muitas variedades, terá que agradar a todas. Daí a importância em combinar as linhagens entre si, assunto que abordaremos ainda neste artigo.

Mais uma dica é conferir se tem alguma lâmpada incandescente. Se for esse o caso, ponha no lugar lâmpadas LED, que são mais baratas e duráveis. Ademais, as LED não aumentam a temperatura da água, sendo que uma alteração mínima de calor pode prejudicar esses pets aquáticos. Não se esqueça de que eles são muito sensíveis ao aquecimento.

Uma dica para a decoração: tons de rosa, azul e branco têm efeitos incríveis. Se você quiser mais praticidade, aqui vai outro conselho: existem no mercado luminárias próprias para o aquarismo. Esses equipamentos vêm incluídos em kits práticos de aquáriosAssim, a instalação fica mais fácil, você não tem que se preocupar com a combinação de cores e tem opções de vários tamanhos.

Alimente com equilíbrio

Assim como com os seres humanos, a alimentação dos peixinhos deve ser balanceada e oferecida, de preferência, duas vezes por dia. Aqui, uma medida bem interessante é fazer o truque dos 2 a 3 minutos. Desse modo, despeje um pouco de ração na água e calcule o tempo.

Quando os peixes pararem de comer ou seu cronômetro zerar, você vai ter uma boa ideia sobre a quantidade de comida ideal. Se houver sobras, confira o quanto eles realmente consumiram e reduza o volume na próxima refeição. Além disso, cheque se você realmente retirou o restante dos alimentos. Do contrário, isso pode afetar a qualidade da água por causa da ampliação de matéria orgânica no sistema.

Agrupe somente espécies compatíveis entre si

Outra etapa fundamental para ter um aquário saudável é saber conciliar as espécies, evitando, assim, que peixes agressivos rejeitem e ataque os demais. Por exemplo: o bárbus, o malawi e o tanganyka só convivem com indivíduos das respectivas famílias. Já o betta prefere ficar isolado.

Não considerar esse aspecto na hora de misturar seus pets pode levar a um desfecho indesejado, como as perdas por mortes. Além disso, o número de animais também requer uma boa avaliação e deve ser proporcional ao tamanho do aquário.

Deixar seu aquário saudável, portanto, não é nenhum mistério. Com poucas medidas, você conquista um ambiente perfeito para ter peixes encantadores. Afora isso, ele acaba virando uma peça interessante de decoração e ainda pode ajudar a relaxar.  Que tal mais dicas sobre o aquarismo? Então clique e aprenda a limpar o aquário corretamente. Confira!

25 Compart.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *