como os peixes respiram

Por que os peixes não podem respirar fora d’água?

Ensinar os filhos como os peixes respiram pode ser uma ótima brecha para incentivá-los no aquarismo. Afinal, é uma forma interessante de introduzir assuntos de Biologia e, ao mesmo tempo, passar um tempo útil com eles.

Diferentemente dos seres humanos, o sistema respiratório dos peixes não tem pulmão, com algumas exceções, que explicaremos neste artigo. Nesses animaizinhos, o conjunto de órgãos responsáveis pelas trocas gasosas é formado pela boca, pelas brânquias — também conhecidas como guelras — e pelas fendas operculares e opérculos.

O que iguala os peixes aos homens é que ambos dependem do oxigênio para sobreviver. Já a diferença é que as pessoas retiram esse importante ar da atmosfera, e os peixinhos absorvem esse gás da água. Quer saber como os peixes respiram? Então confira as nossas incríveis dicas!

Os peixes pegam oxigênio da água em vez do ar

A inalação dos peixinhos começa pela boca, por onde eles deixam entrar a água de mares, rios e lagos. Dessa forma, essa água é carregada com o oxigênio e encaminhada para as brânquias, tema do nosso próximo tópico.

Na água, a quantidade desse elemento é bastante menor do que no ar. Por causa disso, ao longo de milhões de anos, as brânquias desenvolveram uma elevada capacidade de sugar o ar a partir do líquido e garantir a sobrevivência desses seres.

Esses animais têm brânquias no lugar do pulmão

Descobrir como os peixes respiram passa, inevitavelmente, em compreender um pouquinho sobre as brânquias ou guelras. Esses órgãos possibilitam a tão conhecida respiração aquática. Trata-se de uma das mais marcantes características dos peixes.

Na maioria desses animais, as guelras estão na parte traseira da boca. Quando eles ingerem a água, ela é levada para as brânquias. De lá, o líquido atravessará pequenos cílios desse órgão, que têm a utilidade de exterminar as impurezas, como sobras de comida e fezes.

Minúsculos filamentos e lamelas fazem a troca gasosa, de um jeito bem parecido com o que ocorre nos alvéolos dos pulmões humanos. Após esse processo, o oxigênio ultrapassa essas paredes extrafinas e penetra na corrente sanguínea. Para que tudo isso dê certo, porém, é imprescindível preservar o aquário saudável, com índices de oxigênio suficientes para a sobrevivência dos indivíduos.

Eles expiram pelos opérculos, e não pelas narinas

O sangue oxigenado irriga todo o corpo do peixe. Por outro lado, a água suja, saturada com o gás carbônico, sairá das brânquias por meio das fendas branquiais, também conhecidas como opérculos. Geralmente, esses órgãos exterminadores de fluídos nocivos ficam na lateral do peixinho, perto da região da cabeça. Dessa forma, essa substância é eliminada por essa água, que terá bem mais volume desse gás do que de oxigênio.

Algumas espécies respiram fora d’água

Quando o assunto é saber como os peixes respiram, sempre há surpresas. Embora a grande parte desses indivíduos aquáticos inalem ar pelas brânquias, isto é, dentro da água, existem exceções. Algumas espécies de peixes contam com pulmões para respirar. A piramboia (Lepidosiren paradoxa) é a única no país com essa peculiaridade.

Atualmente, apenas seis linhagens de peixes têm pulmão em suas estruturas no hemisfério sul. No caso da piramboia, ela vive na bacia Amazônica. Essa modalidade de animais também é conhecida como dipnoi. Em grego, essa expressão significa dupla respiração ou peixes pulmonados.

A piramboia, assim que nasce, usa as brânquias para inalar o ar. Com o passar do tempo, as brânquias vão encolhendo, e a respiração pulmonar tem início. Por essa razão, esses indivíduos precisam pôr a cabeça para fora da água, de tempos em tempos, a fim de aspirar o ar da atmosfera. Em ocasiões de seca, eles conseguem resistir em meio a lama até a volta das chuvas.

Como você já deve ter percebido, entender como os peixes respiram não é nenhum bicho de sete cabeças. Como eles contam com a brânquia no lugar do pulmão, é impossível para esses bichinhos respirar fora da água, com algumas raras ressalvas, como já dissemos. Isso porque as brânquias absorvem o ar por meio de líquidos. Deu para compreender bem? Ficou com alguma dúvida? Então leia também nosso artigo aquarismo para iniciantes!

Siga-nos nas Redes Sociais e Compartilhe:
error0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *