Mãe e criança brincando com brinquedo em formato de peixe

Aquarismo na infância: peixes e crianças combinam?

Seus filhos já pediram um bichinho de estimação? Na verdade, esse é um desejo muito natural entre a criançada, e talvez o aquarismo seja a solução. No entanto, nem sempre dá para adotar um cãozinho ou um gato, não é mesmo? Afinal, eles dão muito trabalho e exigem muitos recursos financeiros. Por outro lado, criar peixe é uma alternativa muito mais viável para toda família.

Contudo, pode bater aquela dúvida: mas o aquarismo é apropriado para os pequenos? Sim, ele é! Essa atividade não apenas é compatível com o público infantil como também pode fazer as crianças se apaixonarem.

Isso porque peixes como o betta, o goldfish, o kinguio oranda red, entre tantos outros, são belíssimos e interagem com os humanos de diversas formas.

Além disso, essa prática é uma maneira muito eficiente de expandir o conhecimento da meninada em vários aspectos. Primeiramente, é uma chance de ensinar sobre responsabilidade.

Afora isso, um aquário ajuda a relaxar e a reduzir os níveis de estresse. Infelizmente, muitas crianças hoje em dia têm preocupações de adultos. Quer saber em detalhes por que seus filhos vão adorar o aquarismo? Então confira nosso post!

Aquarismo desperta a criatividade dos pequenos

O aquarismo é um hobby fascinante que une toda a família. Assim, os filhos ajudam a encaixar os enfeites, a ligar a bomba do filtro, a instalar a iluminação do aquário e a colocar o cascalho no fundo.

Mais uma coisa interessante é colaborar para achar o lugar ideal na casa para deixar o habitat dos peixinhos. Não é incrível?

Criar peixes contribui para o aprendizado na escola

O aquarismo é um jeito de ensinar Ciências na prática. Afinal de contas, todo aquário é um ecossistema em miniatura. Desse modo, a garotada obtém conhecimento vivendo uma experiência diferente.

Com isso, você pode explicar como os peixes respiram, como a temperatura exerce influência nas condições de saúde e como a água perde qualidade com a diminuição do oxigênio.

Por tudo isso, seu filho vai descobrir a importância da preservação ecológica de um modo inesquecível.

Ter um aquário é garanta de muita diversão

Há inúmeras maneiras de interagir com um peixe de estimação. Por exemplo: se a criança deslizar os dedos pela parte de fora do vidro, muitas espécies costumam nadar seguindo o mesmo percurso.

Na hora de alimentar, eles mexem as boquinhas de um jeito muito fofo e alguns até vêm comer nas mãos dos donos. No caso do betta, é possível colocar objetos flutuantes, com uma pequena bolinha de pingue-pongue. Esses pets aquáticos são capazes de nadar de um lado para o outro empurrando a bola. Porém, lave-a muito bem e apenas com água, sem sabão, álcool nem detergente. Esses produtos contaminam o meio.

Mais uma coisa legal do aquarismo é ensinar os peixinhos a nadar entre argolas. Amarre uma pulseira — lavada também — em um barbante e puxe o obstáculo com essa linha. Para dar certo, insista em colocar os arcos na frente do animal até ele se interessar. Quando ele fizer pela primeira vez, recompense com ração.

Aquarismo ensina as crianças a lidar com as perdas

O ciclo de vida dos peixes é mais curto do que os pets mamíferos. Isso, porém, não é uma desvantagem do aquarismo. Pelo contrário. Com a perda de um peixinho, por mais que doa, os pequenos entendem a ideia de morte e ficam mais preparados e maduros. Além disso, outros animais sempre nascem. Ou seja, é mais uma grande lição para o público infantil: temos a bela habilidade de vivenciar o luto e de superar a dor.

Portanto, o aquarismo mais do que combina com as crianças. Ele pode ser uma alegria e um aprendizado incomparável para essa faixa etária. Afinal, essa atividade envolve assuntos químicos, biológicos, afetivos, de responsabilidade, de criatividade e de paciência. Ainda na dúvida se vai começar a montar o seu aquário? Então leia também nosso post sobre aquarismo para iniciantes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *